11.4. MEDULA ÓSSEA

Banco de Sangue do Hospital de Clínicas
Rua Agostinho Leão Júnior, 108, 
Segunda a Sexta- das 7h30 às 17h30.
Maiores Informações: (41) 3360-1875

Email: doe_mo@hc.ufpr.br


É um tecido esponjoso, presente no interior dos ossos longos e chatos, sendo comumente chamada de “tutano”. Na medula óssea são produzidos os componentes do sangue: as hemácias (glóbulos vermelhos), os leucócitos (glóbulos brancos) e as plaquetas.

Quem necessita de transplante de medula óssea são pacientes com doenças como: leucemia, linfoma, mieloma e doenças genéticas cuja a medula óssea tenha sido destruída por quimioterapia e/ou radioterapia.
 
O transplante é a subtituição da medula óssea doente por uma saudável. Com isso, o organismo do paciente transplantado passa a produzir novas células normais.

  • Como se Tornar um Doador de Médula Óssea:
• Ter entre 18 e 55 anos de idade e estar em bom estado de saúde;
• Doar uma pequena quantidadede sangue (10ml) para tipagem Genética;
• Preencher um cadastro informando os seus dados pessoais;
• O sangue será submetido a um exame de histocompatibilidade (tipagem HLA), um teste de laboratório para identificar suas características genéticas. O resultado do exame e seus dados pessoais serão incluídos no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (REDOME).
• As informações genéticas são cruzadas com os dados dos pacientes. Se a compatibilidade for confirmada, você será consultado para decidir quanto a doação.
• Outros exames adicionais serão necessários, para certificar seu estado de saúde, caso seja convocado a doar.

  • Como é Feita a Doação de Medula:
Existem duas formas de doar. A escolha do procedimento mais adequado é uma decisão médica.
 
• 1° Procedimento:
Em centro cirúrgico, o doador é submetido a anestesia geral ou peridural. A medula é coletada na crista ilíaca (osso da bacia) através de uma agulha que perfura a pele e atinge o osso, sendo realizada repetidas aspirações. É então armazenada em bolsa e infundida no paciente (receptor) como se fosse uma transfusão de sangue. O doador fica internado por um mínimo de 24h, será fornecido atestado médico para justificar o período em que se ausentou do trabalho.
 2° Procedimento
Será realizado ambulatorialmente por técnica chamada aférese. Consiste na coleta das células tronco periféricas que estarão em circulação no sangue após uma série de injeções subcutâneas para estimular sua produção. A coleta é feita com auxílio de equipamentos e materiais descartáveis. Esse procedimento demora cerca de 5 horas.