Histórico (MVFA)

Fundado em 1913 pelo ginecologista e obstetra Victor Ferreira do Amaral e Silva com o nome de Maternidade Paraná, nos primeiros anos passou por dois endereços: Rua Barão do Rio Branco e na Rua Comendador Araújo (mesmo terreno do Omar Shopping, na atualidade), na antiga residência da família Miró, desde agosto de 1914.

Em 1925, d. Adalgisa Bittencourt doou o terreno localizado no bairro Água Verde e d. Lili Santerre iniciou uma campanha para arrecadação de fundas com a intenção de edificar uma sede própria para a maternidade[1] e em 1930 foi reinaugurado, agora com a denominação de Maternidade Victor Ferreira do Amaral', em uma clara homenagem ao seu fundador e gestor. O próprio Victor foi o encarregado de reestruturar o hospital em sua nova sede, agora própria e em novo endereço: Avenida Iguaçu.

Desde a sua fundação o hospital maternidade tinha o propósito de atender aos mais carentes e necessitados, sendo o hospital que realizava partos secretos, pois a sociedade, até meados dos anos de 1950, via com preconceito a figura da “mãe solteira”.

A maternidade, após sua reformulação em 1930, foi utilizada para o ensino aos cursos de medicina e obstetrícia da Universidade Federal do Paraná (antes da federalização – Universidade do Paraná) até 1961, quando foi criado o Hospital das Clínicas. A partir desta data, a maternidade foi administrada pela Fundação Caetano Munhoz da Rocha, instituição ligada à Secretaria Estadual de Saúde.

Em decorrência de problemas financeiros a maternidade fechou as portas em 1991, sendo reaberta no ano de 2001 e a partir deste momento sendo administrado por um grupo governamental, com parcerias entre o Município de Curitiba, o Estado do Paraná e a UFPR, voltando à instituição a propiciar a prática aos acadêmicos dos cursos de medicina da universidade.

A partir de sua reabertura o hospital mantém 45 leitos e atende em média 300 partos e 900 consultas mensais, pelo Sistema Único de Saúde. A instituição ganhou o prêmio “Hospital Amigo da Criança” em 2006 concedido pelo Fundo das Noções Unidas pela Infância (UNICEF) e Ministério da Saúde (MS). O programa da Secretária Municipal da Saúde, “Mãe Curitibana” é responsável por 90% dos partos no hospital.

Com o  contrato de co-gestão com a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, em outubro de 2014, juntamente com o Hospital de Clínicas, passa a integrar o Complexo HC.