UTI Neonatal comemora 20 anos de atividades

Abas primárias

“Excelência em cuidado, quando a vida começa diferente” diz a faixa comemorativa

 

Foi realizada uma comemoração alusiva aos 20 anos da UTI Neonatal do Hospital de Clínicas (HC) da UFPR, no dia 13 de junho. Desde a inauguração do Hospital, em 1961, atendiam-se os três berçários (B1, B2 e B3), sendo que o segundo era o para dar atendimento às crianças em situação com alto risco à saúde. Em 1997, então, foi ampliado o atendimento em espaço e equipamentos e, hoje, a UTI Neonatal atende, em média, 25 crianças diuturnamente.

Em média, são 100 profissionais de enfermagem, 20 médicos e 10 residentes multiprofissionais que mantém o atendimento 24 horas por dia, nos 365 dias do ano, ininterruptamente. Em 2014, já havia sido certificada pelo Ministério da Saúde como Centro de Referência do Método Canguru. “O Hospital já havia inaugurado a enfermaria Canguru, em 2009, e por cumprir todas as etapas estabelecidas pelo método, se tornou referência e, com isso, replica para outras instituições”, explicou Alessandra Stelmak, chefe de enfermagem da UTI Neonatal.

A UTI foi nomeada de Felipe Ferraz Paciornick. Uma homenagem póstuma ao filho da superintendente dos Amigos do HC - associação de apoio ao Complexo HC (CHC) -, Maria Eliza Ferra Paciornik. “Na época, não tinha nada de equipamento. Contamos com a garra admirável dos profissionais que aqui estavam. Ainda, não existia esta UTI. Os plantonistas, médicos, residentes e enfermeiros ficavam ao lado do berço monitorando em tempo integral”. Contou com a voz embargada de emoção Maria Eliza, que disse que o atendimento, naquele momento permitiu que ela tivesse seu filho por mais dez anos, quando o mesmo veio a falecer junto com o pai, num acidente de trânsito.

A superintendente do CHC, Claudete Reggiani, prestou uma homenagem a todos os idealizadores, que já tinham em mente a necessidade da UTI Neonatal, desde 1970. Entre eles, em especial, os médicos do HC e professores da UFPR Nelson Egídio, Carlos Souza, Antonio Carlos Bagatin, Marcos Parolim Ceccato e Mitsuro Miyaki. Contudo, parabenizou a toda equipe formada por serem “excelentes profissionais, na hora que está tudo bem, mas também, nas horas de maior necessidade”.

A chefe do departamento de pediatria da UFPR, Regina Cavalcanti, rendeu homenagens aos mesmos professores “ao trio que foram meus mestres e a Izrail Cat, que trouxe a primeira Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica do estado”. Também agradeceu a toda equipe de enfermagem, assistência social, psicologia, fonoaudiologia, nutricional, de fisioterapia e de residenttes. “É o cimento que une tudo isso e que faz que o caminho seja possível. É a equipe multiprofissional que dedica seu trabalho aos nossos bebês, com muito amor, competência e dedicação sem limites”.

A chefe do Serviço, Ana Lúcia Figueiredo Sarquis, lembrou das situações de restrições de leitos e que, agora, está retomando os atendimentos em toda sua plenitude e afirmou que “o HC tem nome e a UTI Neonatal faz jus a este nome”. Também, falou dos desafios diários que o Serviço enfrenta e conclamou a toda equipe para caminharem em prol do objetivo: “nossa meta para 2017 é que seja o Hospital modelo para o país e para sermos o exemplo para todos os hospitais da rede Ebserh temos que pôr mãos-à-obra”.

Quem estava presente na ocasião e que foi chamado para dizer algumas palavras, devido a todo o seu legado, foi o médico e professor aposentado Mitsuro Miyaki. Ele que já foi chefe do Serviço e, também, do departamento de pediatria, também foi diretor do HC, no ano de 1998. “Meu reconhecimento e agradecimento é a todos que contribuíram e que ainda trabalham em prol dos maiores beneficiados, as mães e as crianças”, exaltou ele. Coincidentemente, João Carlos Gonçalves Baracho, o atual Secretário Municipal de Saúde de Curitiba, foi o que equipou a UTI, 20 anos atrás, lembrou Mitsuro.

As comemorações contaram com um café e com a música tocada pelo violinista Marcos de Lazari  do projeto violino em ação, que leva arte de maneira altruísta às instituições.

Ebserh

*O Hospital de Clínicas ao lado da Maternidade Victor Ferreira do Amaral são os hospitais universitários federais da UFPR que formam o Complexo HC e são considerados filiais da Ebserh no Paraná. A Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), estatal vinculada ao Ministério da Educação, administra atualmente 39 hospitais universitários federais. O objetivo é, em parceria com as universidades, aperfeiçoar os serviços de atendimento à população, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), e promover o ensino e a pesquisa nas unidades filiadas. O órgão, criado em dezembro de 2011, também é responsável pela gestão do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), que contempla ações nas 50 unidades existentes no país, incluindo as não filiadas à Ebserh

Mais imagens no Flick do CHC: goo.gl/pi5REc

Fotos: Allan Césio da Silva

Imagem(ns): 
Seq: 
1